$ $ $        Felizes da Fé        $ $ $

 

  Home | FF o que é? | Historial | Futuro | O Filme | Livro de visitas | Hiperdada | Congresso | Indice

Felizes reproduzem-se como coelhos

 
Megadesfile para o Guinness
Recorde: Mais de 24 mil pais natais inundaram cidade de cor e alegria.
Nem a chuva estragou a festa.

Foto Leonel de Castro 

O Porto foi ontem invadido por mais de 24 mil pais natais. O recorde mundial foi batido e as expectativas mais optimistas foram largamente superados. O desfile de cerca de 14 mil pessoas tingiu de vermelho e branco a cidade. Na Praça da Liberdade, esperavam-nas mais dez mil participantes, numa festa que nem a chuva beliscou.

Quatro anos chegaram para consolidar a tradição e transformar um evento realizado no Porto num acontecimento com impacto nacional e registo no livro de recordes mundiais.

O maior desfile de pais natais do Mundo - em todas as versões que a criatividade popular é capaz, desta vez com ampla participação de ciclistas e motards - juntou-se à maior concentração de pais natais do Mundo. E já antes, uma composição da CP com origem em Lisboa tinha ganho o título de comboio com mais pais natais a bordo. Foi assim. Tudo em grande e com muita cor. Porque o Natal é quando o homem quer mas não se faz todos os dias.

O início do desfile estava marcado para as 15 horas, na rotunda da Boavista. A concentração começou pelas 13, mas, duas horas mais tarde, ainda se distribuíam e vestiam muitos fatos. A organização disponibilizou 20 mil fatos. No total, apareceram mais de 24 mil pessoas trajadas com o rigor informal duma festa popular. Contas feitas, significa que mais de quatro mil eram de fabrico caseiro.

Era o caso de Sérgio Joaquim Nogueira, jardineiro de profissão, residente em Gaia e apaixonado pelo F.C. Porto. Por isso, o seu traje era azul e branco, como o equipamento dos campeões, e a sua mota estava adornada com uma réplica da taça intercontinental e uma bandeira do clube do Dragão. Cachecóis, emblemas e bandeiras de clubes de futebol e de outras organizações enfeitavam muitas fatiotas.

Com grande atraso, a partida, da rotunda da Boavista, só aconteceu muito depois das 16 horas e foi brindada com chuva. Ainda o grosso dos participantes continuava na rotunda e já muitos chegavam ao Palácio de Cristal. À frente, a ala dos pais natais a pé, que incluía muitos carrinhos de bebé, algumas cadeiras de rodas e até cães mascarados de renas. Seguiam-se centenas de ciclistas, que pedalaram da Maia até ao Porto, e os animados motards.

in JN, 20 de Dezembro de 2004 http://jn.sapo.pt/2004/12/20/grande_porto/megadesfile_para_o_guinness.html

  

  

Hit Counter

 

Home | FF o que é? | Historial | Futuro | O Filme | Livro de visitas | Hiperdada | Congresso | Indice


Actualizado em 15 Janeiro 2005
webmaster:
 hugo.bola(at)clix.pt